A Radio que só toca top , a sua noticia em primeiro lugar ,

Irmãos confessam que mataram bancário e relação íntima : situação saiu do controle

latrocínio cássio VG

De acordo com o que a DHPP apurou, casa de Cássio era frequentada por Débora Letycia, o irmão dela, Jonny Pereira, e o mais novo, um adolescente de 17

 

Logo depois de serem presos, em depoimento à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ainda na noite desta terça (14), os dois envolvidos no assassinato do bancário Cássio Rogério Gonçalves disseram que possuíam uma relação íntima com a vítima e que, no dia do crime, tinham ido cobrar uma dívida de Cassio, quando a situação saiu do controle. Eles acabaram matando o rapaz com 16 facadas, uma delas no pescoço, próximo da garganta.

Em menos de 48 horas, a Polícia Civil concluiu as investigações do latrocínio e entende que o crime tenha sido premeditado.

A investigação foi presidida pela delegada Eliane Moraes, com apoio delegado Caio Fernando Álvares de Albuquerque.

Cássio foi encontrado degolado na casa dele, no bairro Clovis Vetoratto, em Várzea Grande, na noite de sábado (11).

Devido a Lei de Abuso de Autoridade, a DHPP não revelou os nomes dos envolvidos. Porém o  apurou que Jonny Pereira, de 18 anos, e o irmão adotivo dele, um adolescente, 17, são os suspeitos do crime.  A internação dele já foi pedida ao Ministério Público Estadual (MPE). Além deles, outras duas mulheres também foram presas, sendo que uma delas, Débora Letycia, 20, que também é irmã dos suspeitos.

“Ambos foram interrogados e confessaram a autoria do roubo seguido de morte. Eles dizem que já mantinham um relacionamento íntimo com a vítima. E que, no dia dos fatos, eles estavam na casa do Cássio, e segundo a versão deles, houve um desentendimento que evoluiu para as facadas e em seguida subtraíram os objetos. Falam que estavam lá para cobrar um valor que a vítima tinha com eles”, explica o delegado.

Os suspeitos confessos, em depoimento, foram bem claros confessando que mataram a vítima e em seguida roubaram os objetos. “Temos indícios bastante fidedignos contra a prática de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Em que a pessoa mata para facilitar a subtração dos objetos da vítima”.

Além dos dois, a irmã do adolescente, Debora Letycia foi uma das duas mulheres presas na segunda (12), pela DHPP. Na casa dela, foram encontrados um celular e roupas da vítima, queimados para despistar a investigação. Segundo a mulher, os objetos foram deixados na residência pelos dois suspeitos de cometerem o crime, que estavam também com o carro da vítima.

Das cinco pessoas conduzidas, duas delas foram autuadas em flagrante e tiveram a prisão representada pela delegada. “As pessoas que estavam com objetos da vítima tinham conhecimento de que os suspeitos planejavam o cometimento do crime. Quando receberam os objetos dos executores, elas sabiam que eram de procedência da vítima que eles haviam planejado matar”, informou a delegada Eliane Moraes.

Crime

Cássio Rogério foi encontrado morto na noite de sábado, 11 de abril, em sua residência no conjunto habitacional Clóves Vettorato, em Várzea Grande. O corpo tinha 16 perfurações de arma cortante no abdômen e pescoço. Da casa foram levados objetos, roupas, aparelhos eletrônicos e o carro da vítima, que foram localizados na região do CPA I.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.