A Radio que só toca top , a sua noticia em primeiro lugar ,

CORONAVÍRUS: Áudios revelam agonia de taxista antes de morrer Porto Velho-RO

O equipamento de proteção dos agentes funerários e coveiros que atuarem em casos de suspeita de morte por Coronavírus devem ser fornecidos pelas autoridades públicas

Foto: Divulgação

A morte do taxista porto-velhense, Aparecido Rodrigues, de 66 anos de idade, conhecido popularmente por “Leão”, que supostamente teria sido mais uma vítima fatal por infecção decorrente do COVID-19 em Rondônia durante a manhã desta quarta-feira (8), vem mobilizando as autoridades públicas de saúde na capital do Estado.

 

Até o início da tarde o corpo de Leão não foi retirado de sua residência, isso porque é necessário equipamentos de proteção para os profissionais que irão remover ele do local. Ele estaria aguardando o resultado de um teste feito para confirmar sua infecção.

 

Áudios que possivelmente teriam sido encaminhados por Leão a colegas já estão sendo compartilhados nas redes sociais. Em um deles, a vítima afirma que estava com febre e tosse, além de cansaço no corpo.

 

“Eu estou com suspeita do Coronavírus, só que a máquina de fazer o raio-x do pulmão está quebrada, eu tenho que ficar 14 dias em casa, não é para sair para lugar nenhum, meus pulmões estão mandando apenas 82% do ar para o sangue, tem que mandar 93%, a coisa tá feia para o meu lado”, relata um dos áudios supostamente encaminhados pelo taxista.

 

 

Durante entrevista coletiva concedida pela manhã, o secretário estadual de saúde, Fernando Máximo, afirmou que não havia tomado conhecimento do caso, porém, se fosse confirmado, todas as providências seriam realizadas conforme o protocolo de ação para o enfrentamento do COVID-19.

 

O equipamento de proteção dos agentes funerários e coveiros que atuarem em casos de suspeita de morte por Coronavírus devem ser fornecidos pelas autoridades públicas competentes.

 

A confirmação ou não da morte do taxista por COVID-19 será anunciada através do informativo disponibilizado pelo Governo do Estado. Ele morava sozinho e não tinha familiares em RO, apó todos os devidos procedimentos, o sepultamento será realizado de forma isolada.

 

Confira vídeo: 

 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.